©2019 by zenped. Proudly created with Wix.com

 
  • Joana Martins

Dietas nas Escolas

Felizmente, em Portugal muito tem sido feito para melhorar a qualidade da oferta alimentar nas escolas, com a Direcção Geral de Educação a emitir orientações (ver aqui) muito válidas sobre as características ideais das refeições das crianças. No entanto, todos temos a ideia que há aspectos menos regulados, como os snacks providenciados fora dos refeitórios. E nas creches e jardins de infância, este aspecto tem especial relevância, porque os miúdos chegam a fazer 3 lanches por dia. A escola (num sentido lato, incluindo creches e jardins de infância) como espaço educativo e promotor de saúde, deve organizar-se em sintonia com as recomendações mais recentes dos profissionais de saúde. No aspecto da educação alimentar, sabemos que o mais relevante é a coerência.E por isso a Direcção Geral da Saúde emitiu uma recomendação sobre este assunto (ver aqui). Como sabemos que são pais ocupados, tentámos resumir alguns aspectos mais importantes:


Alimentos que não devem ser disponibilizados em contexto escolar: Rissóis, croquetes, pastéis de bacalhau e produtos afins, tendo em conta o facto de serem fritos e, como tal, muito ricos em gorduras saturadas. Pastéis e bolos de massa folhados, incluindo pré-congelados, visto que são feitos de uma massa com elevado teor de gordura saturada.

Chouriços, salsichas, fiambre de porco, mortadela, linguiça, uma vez que são produtos de charcutaria com elevado teor em sal. Maionese, mostarda ou outros molhos, pelo elevado teor em sal.

Refrigerantes, incluindo águas aromatizadas e preparados de refrigerantes – isto é especialmente importante, porque é frequente haver lanches com oferta de sumo. Rebuçados, caramelos, chupas, pastilhas elásticas e gomas – felizmente a maior parte das escolas não fornece este tipo de produtos, mas sabemos que quando há aniversários, os miúdos trazem para casa um pequeno saquinho repleto destas coisas. Não é o fim do mundo, mas se uma turma tem cerca de 25 crianças e o ano escolar 163 dias (o que equivale a 25 semanas), quer dizer, que, por cada semana de escola, lá virá um saquinho destes para casa! Façam as contas! Alimentos que podem ser oferecidos mas com algum bom senso: Bolachas/Biscoitos, de preferência em doses individuais, com baixo teor em lípidos e açúcares (por exemplo: bolacha Maria/Torrada, biscoitos de milho, de aveia). Barritas de cereais, de preferência com baixo teor de açúcar, de lípidos, de sal e ricas em fibras.

Bolos “à fatia”, preferindo aqueles sem adição de gordura e com baixo teor de açúcar e com adição de leite, iogurte, fruta, especiarias entre outros ingredientes.

Bolos sem creme (inclui-se neste grupo bolo de arroz, croissant não folhado, queque). Manteiga ou cremes para barrar com baixo teor em lípidos. Marmeladas e compotas de fruta com teor de fruta superior a 50%. Gelados de leite e/ou fruta. Chocolates, preferindo aqueles com maior teor em cacau, sem recheios e em embalagens com um máximo de 50g.

Ora bem, como gostamos de ensinar coisas práticas, porque não fazer uma sugestão para a própria escola confeccionar um bolo de iogurte em caso de aniversário de um dos miúdos?

Há escolas que o fazem. Se mesmo assim, a escola for empedernida, sugerimos que não gastem dinheiro em bolos elaborados (ficam espectaculares nas fotos, mas guardem-nos para as festas lá de casa) e optem por um simples bolo caseiro de iogurte, de canela, de laranja ou mesmo de cacau. Entre o trabalho que dá ir buscar a obra prima de 3 andares ou fazer um destes em casa, venha o diabo e escolha. E por fim, nos saquinhos de aniversário, ponham barritas de cereais ou mesmo chocolates pequenos (<50g), simples, de leite ou com uma percentagem elevada de cacau. Simples? Achamos que sim! E estamos gratas em poder ajudar!!!


86 views1 comment